No dia 06 de dezembro, é comemorado o Dia Nacional da Extensão Rural. A primeira experiência brasileira direcionada para a introdução de novas técnicas de agricultura e economia doméstica, de incentivo à organização e do conhecimento gerado nos centros de ensino e de pesquisa aos produtores rurais, foi em 1948, com a fundação da Emater de Minas Gerais.

 

A ACARESC - Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Santa Catarina, hoje extinta, foi durante 35 anos o órgão oficial de extensão rural do Estado de Santa Catarina, sendo posteriormente sucedida pela EPAGRI.

 

A extensão rural é uma atividade de transmissão de conhecimentos a pessoas do meio rural, visando à melhoria dos processos de produção, beneficiamento e comercialização. Vamos destacar um pouco do início desta atividade no município de Caibi SC, com um dos primeiros extensionistas, Senhor Arbi Enio Dummer, que contou um pouco sobre o seu trabalho e sua importância para os agricultores. Arbi é professor aposentado e muito contribuiu com o município de Caibi.

 

Arbi nasceu no dia 14 de março de 1949, no município de Rio Pardo R/S. Veio residir em Caibi no ano de 1970. Formou-se Técnico pela ETA de Viamão R/S. Assim que conclui o curso, logo realizou um teste no município de Florianópolis para ingressar no serviço de extensão rural. Dando sequência aos estudos realizou um estágio de 30 dias, também em Florianópolis e mais 30 dias em Videira-SC, sendo aprovado foi designado para implantar os serviços de extensão rural em Caibi-SC, no ano de 1970, na época do prefeito Sr. Carlos De Nadal, onde trabalhou como extensionista até o ano de 1975.

 

Depois, trabalhou 02 anos junto com o Sr. Valdir Dacroce na produção de suínos para reprodução. A agricultura era rudimentar. O trabalho de extensão rural era voltado para a implantação de lavouras demonstrativas, com aplicação de técnicas de adubação e uso de sementes hibridas. Na suinocultura foram introduzidas novas raças e os chiqueiros eram construídos com soleiras. O trabalho desenvolvido foi muito significativo para o agricultor da época e marcou o início de uma conscientização do uso de novas técnicas, tanto na agricultura, como na suinocultura.

 

O que mais marcou sua vida como extensionista foi a recepção por parte dos agricultores e da comunidade em geral.

 

Na época, o trabalho honesto, perseverante e a dedicação de Arbi conquistou a confiança do agricultor e foram de extrema importância, contribuindo para a inovação da agricultura e da pecuária, na implantação de novas técnicas. Arbi adotou o município de Caibi como local para viver, crescer, se desenvolver e deixar um pouco de seu legado para a história do município.

 

No ano de 1977 iniciou suas atividades como docente, trabalhando primeiramente como professor de Educação de Física. No ano de 1980 cursou Licenciatura em Ciências na UPF em Passo Fundo-RS. Concluiu sua missão de ensinar no ano de 2011, ano em que se aposentou. Como docente sempre sentiu gratidão pelo carinho, amizade e respeito que as crianças demonstravam. Os colegas professores eram leais e muito amigos.

 

Arbi é reconhecido por seus ex-alunos e pela comunidade Caibiense como um ser humano que veio para ensinar, tanto no início como extensionista, como depois sendo professor. É muito carismático, humilde e simples. Sempre teve muitos amigos e sempre que pode se reúne com eles; sempre se colocando à disposição para ajudar. Afeito a uma boa conversa, coisa que gosta muito de fazer com todos que o rodeiam. Sempre atualizado pelas leituras de jornais e notícias, uma pessoa muito culta que conversa sobre os mais diversos assuntos.

 

Hoje vive bem, curtindo sua aposentadoria, depois de todos os anos dedicados à educação. Curte fazer sua horta e cuidar de seus animais de estimação com muito carinho. Arbi fica muito feliz quando consegue fazer uma boa pescaria ou uma rodada de cartas com seus bons amigos de baralho.

 

Arbi relatou emocionado: “ O trabalho foi minha realização, tudo o que eu queria, eu consegui realizar; tanto na vida pessoal como profissional. ’’

 

Um conselho: ter fé e acreditar em um Ser Superior.

 

Três palavras que melhor descrevem sua vida: amor, amizade e tolerância.