Os professores da FAHOR, Dr. Fauzi de Moraes Shubeita e o Mestre  Adalberto Lovato, juntamente com uma equipe de professores do Instituto do Petróleo e Recursos Naturais (IPR) da PUC e outra equipe da Univates, aprovaram um importante artigo científico intitulado “Microbial communities in anaerobic digesters change over time and sampling depth", aceito para publicação na revista Brazilian Journal of Microbiology. A revista é uma publicação da Sociedade Brasileira de Microbiologia (https://sbmicrobiologia.org.br) e possui Qualis irrestrito.

O artigo trata da análise microbiológica de dejetos de bovino leiteiro processados em Biodigestor Anaeróbico para produção de biogás. A pesquisa teve como objetivo analisar a composição e evolução da microbiota presente em um Biodigestor com o passar do tempo. De acordo com o professor e Doutor em Ciência da Computação Fauzi Shubeita, os biodigestores são equipamentos que têm a capacidade de converter resíduos orgânicos, através da Digestão Anaeróbica (DA), em biogás e biofertilizante. As principais variáveis que afetam o processo de DA são temperatura, pressão, mensuração de gases resultantes, ácidos resultantes, potencial  hidrogeniônico  (pH) e composição da matéria orgânica e por isso a pesquisa realizada de forma interdisciplinar teve foco na eficiência dos biodigestores.

“Foram desenvolvidos experimentos com coleta e análise de biogás e amostras de dejetos que permitiram explorar a microbiologia de um sistema real de Digestão Anaeróbica. Esta exploração permitiu mapear as bactérias presentes no dejeto, que foram classificadas e agrupadas conforme as quatro fases da DA (Hidrólise, Acidogênese, Acetogênese e Metanogênese). A partir desta análise foi possível desenvolver um modelo matemático e um software para simular o comportamento de um sistema de DA”, explicou o doutor Fauzi.

De acordo com o professor, o artigo traz a compilação científica dessas análises e vem ao encontro das demandas da área de energias renováveis que pesquisam a viabilidade no uso de Biodigestores como elemento de sustentabilidade ambiental e gerador de renda em propriedades rurais.

 “Os biodigestores podem ser utilizados em áreas urbanas e rurais, dependendo do tipo de resíduo orgânico. Em ambos os locais pode haver dificuldade em monitorar e controlar os biodigestores e por consequência comprometer a sua eficiência, o que historicamente é apontado como um elemento de fracasso nos projetos que tentaram implantar estes equipamentos em grande escala. Novas análises serão desenvolvidas com dejetos de suínos objetivando comparar a característica microbiológica de ambos”, espera o professor.