Diante do novo Decreto Estadual que atribuiu ao município a decisão do retorno ou não as aulas presencias, foi analisado e considerado os seguintes pontos:

A prioridade nesse momento é a preservação da vida de toda a comunidade escolar;

A elevação no número de casos positivos/ativos, bem como o número de casos suspeitos em isolamento.

A não liberação da vacina para os profissionais da Educação pelo Governo Federal, considerando ainda o pedido do Sindicato dos Professores Municipais e Sindicato dos Funcionários Municipais pelo não retorno as aulas enquanto não houver vacinação;

A normativa aprovada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) que permite o Ensino remoto no ano de 2021;

Baseado em pesquisas sabe-se que as crianças vão à escola também com a expectativa de interação e que nesse momento isso não será possível, pois é necessário manter o distanciamento social, não poderão compartilhar objetos e nem terão intervalo para brincar/conversar com outros colegas, podendo ocorrer uma frustração quanto as ações socioemocionais em relação ao ambiente escolar.

Considerando todos esses itens, optamos pelo não retorno as aulas presencias, estaremos avaliando a possibilidade de retorno quando houver uma queda nos índices de contágio em nosso município.

Sabemos da importância das aulas presenciais, da expectativa da comunidade escolar com o retorno, mas precisamos ter responsabilidade e cautela, pois estamos lidando com vidas, que precisam SEMPRE ser PRESERVADAS.