A expectativa de vida de um recém-nascido em Santa Catarina é a maior do Brasil: em média 79,9 anos. Os dados de 2019 são do relatório de mortalidade divulgado pelo IBGE nesta quinta-feira, 26. O índice de longevidade é reflexo da qualidade de vida de quem vive no estado e das ações do Governo do Estado em prol da população. A expectativa catarinense cresceu 0,2 ano em relação a 2018 (79,7) e foi 3,3 anos maior que a média brasileira (76,6 anos) em 2019.

 

Segundo o relatório, mulheres vivem em média 6,5 anos a mais que os homens. Mesmo assim, em Santa Catarina o cenário para eles é favorável. No Estado, ambos têm a maior expectativa de vida do país, sendo 83,2 anos para mulheres e 76,7 anos para os homens.

 

A pesquisa, realizada com base nos dados do dia primeiro de julho de 2019, constatou ainda que a probabilidade de pessoas com 60 anos que vivem no Estado chegarem aos 80 anos aumentou 84% entre 1980 e 2019.

 

O Estado também ocupa a terceira posição de menor mortalidade infantil do Brasil. Enquanto a taxa nacional foi de 11,9 no último ano, a de Santa Catarina foi de 8,4 a cada mil nascidos vivos. O número representa o número de recém-nascidos que falecem antes de completar um ano de vida.

 

 

Fonte: Canal 4 - TV - União da Vitória