O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (IMA) retomou na última semana de agosto as análises de balneabilidade. O trabalho havia sido interrompido por conta da pandemia do coronavírus. São coletadas amostras de 231 pontos do litoral catarinense.

 

Segundo o IMA, as funções do laboratório foram bastante impactadas pela pandemia por causa de exigências para a realização das atividades, como espaço obrigatoriamente fechado para que não haja contaminação das amostras. Além disso, boa parte dos funcionários do local pertence a grupos de risco da Covid-19.

 

De acordo com o instituto, para que o laboratório voltasse à atividade foram tomadas medidas de distanciamento social e os funcionários do local usam face shield. O Corpo de Bombeiros auxilia o IMA fazendo a coleta em todos os pontos e levando as amostras para o instituto.

 

Praia Central, em Balneário Camboriú, em 2018 — Foto: Joana Caldas/G1

Praia Central, em Balneário Camboriú, em 2018 — Foto: Joana Caldas/G1

 

 

Porém, por enquanto o resultado das análises não será mostrado na forma tradicional, como próprio ou impróprio. Isso ocorre por causa da metodologia usada pelo IMA, uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Conforme essa norma, para determinar que um local é próprio para banho são necessárias cinco análises. Como a anterior foi feita em março, são necessárias cinco novas amostras para que haja um resultado confiável.

 

Dessa forma, nas próximas semanas os relatórios de balneabilidade do IMA serão divulgados com resultado indeterminado ou impróprio. Geralmente, o instituto faz análises semanais apenas no verão, de novembro a março. Porém, por causa da situação excepcional atual, as coletas semanais foram antecipadas para outubro. Assim, a previsão é que a análise de balneabilidade esteja normalizada na terceira semana de outubro.

 

Proibição e restrição da permanência em praias

 

Conforme a portaria número 592/2020, da Secretaria de Estado da Saúde, é proibido permanecer em praias em regiões de risco gravíssimo e grave para o coronavírus. Em áreas com risco alto ou moderado, as pessoas só podem ficar nesses locais com máscara e respeitando o distanciamento social.

 

No litoral catarinense, as regiões Nordeste, que inclui Balneário Barra do SulItapoá e São Francisco do Sul, e a região de Laguna, que inclui Braço do Norte e Imbituba, estão em risco gravíssimo para a Covid-19. As demais áreas do litoral estão em risco grave.

 

FONTE: g1.globo.com/sc