O isolamento social, mesmo antes da pandemia, era realidade para muitas famílias com pessoas que apresentam distúrbios sensoriais, como o Transtorno do Espectro Autista ou síndrome de Dow. Pensando em melhorar o convívio social desse grupo, o vice-presidente da Alesc, deputado Mauro De Nadal, apresentou o projeto de lei que garante à essas pessoas uma sessão especial de cinema. O parlamentar é defensor de ações para melhorar a vida dos Autistas. Ele foi propositor da criação da Carteirinha de Identificação do Autista, já implantada em Santa Catarina. 

 

“São pessoas que não tem voz, e que, por não apresentarem características físicas, sofrem preconceito e cada vez mais se isolam da sociedade. Nosso trabalho é melhorar a vida dessas pessoas, com pequenas ações, mas que no dia a dia ajudam muito”, comenta De Nadal.

 

O projeto do vice-presidente da Alesc faz com que as empresas operadoras de salas de cinema  do Estado promovam, no mínimo uma sessão mensal de cinema adaptada, sem sobrepreço. As sessões devem ter luzes acesas e o volume do som levemente reduzido. Os responsáveis pela pessoa com a síndrome terão acesso irrestrito à sala de exibição, podendo entrar e sair da sessão no momento em que desejar. 

 

Outro ponto destacado no projeto é a identificação, com o símbolo mundial do Espectro Autista e Síndrome de Dow, fixados na sala de exibição. De Nadal ainda cita o apoio das entidades que representam os interesses das pessoas com as síndromes para auxiliar as empresas operadoras de salas de cinema na definição de títulos de filmes, horários e peculiaridades para melhor adequar a sessão.

 

“Esse grupo de pessoas merece nosso carinho e respeito. E é nosso dever ajudar a melhorar as suas vidas”, pontua De Nadal. O projeto está na Comissão de Constituição e Justiça e, se aprovado, segue para mais duas comissões antes de ser votada em plenário. “Vamos trabalhar par aprovar mais essa lei que vem em prol dos catarinenses.”