“Até os cinquenta anos, gastamos a vida para ganhar dinheiro; depois dos cinquentas, gastamos o dinheiro para ganhar de volta a vida”.

            Esta frase reflete a forma como vivemos a vida em sua fase mais vibrante, onde passamos a maior parte de nossa juventude trabalhando em demasia sem cuidar do nosso corpo e da nossa alma, de forma desenfreada e maçante nas fobias das metas e dos resultados financeiros.

“A fortuna, quando flagela o homem, corta-lhe todas as bases de cuidados com a própria vida”.

Parece-me fora de cogitação que alguém faça isso em alguma época, antes dos cinquenta anos. Trabalhar em completa harmonia com o corpo e a alma e obter os resultados financeiros preocupando-se com a saúde física e mental. Estou convencido de que o ser humano não muda no amor, só muda na dor, precisa sentir na própria pele a necessidade de mudança, razões pelas quais o corpo padece quando a alma dá o sinal de que não aguenta mais. Poucos recorrem a uma igreja quando estão bem financeiramente e têm saúde, porém, basta um sinal de crise que o templo passa a ser visita obrigatória.

Muitos morrem sem ter, de fato, vivido e isso significa, em última análise, não ter se organizado para tal.

Se fossemos fazer uma reflexão e retornar alguns anos em nossa vida, quantas decisões mudaria ou faria diferente. Uma das bases mais sólidas do equilíbrio no ser humano é ser amado, e quem, de fato, ama e se cuida com harmonia, poderá também ganhar dinheiro sem ter que gastá-lo para repor a saúde mais adiante.  Esta é uma noção importante porque mostra o tremendo malefício que as tensões internas do dia a dia – basicamente o sofrimento do desprazer no trabalho – podem causar à saúde e à vida. E por outro lado, o grande benefício do prazer, incluindo-se aí, principalmente, as relações de amor pelo trabalho e a convivência na família após o trabalho.

A mente governa o nosso corpo, embora as pessoas não prestem atenção a isso, quando um desequilíbrio complica a vida, é justamente a luta encarniçada que trava até os cinquenta anos, para ter sucesso e dinheiro, esquecendo-se de ganhar junto a saúde para a boa vida futura.

            Este estado de sofrimento só vai acontecer pelas fobias desenfreadas de não nos cuidarmos no período mais enérgico de nossas vidas, onde muitos esquecem de cuidar-se e gastam parte de sua vida para acumular dinheiro e riquezas materiais; e muitos desavisados vão ter que gastar o dinheiro para retornar a saúde perdida, isso quando conseguem encontrá-la.

Com isso, não quero ser mal-entendido. Dá para ganhar dinheiro e vida juntos, basta organização e planejamento. Lembre-se que os anos passam e depois pode ser tarde para retornar a flecha lançada.